Sétima carta - A melodia da flauta Ney - Amma


Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link: 
http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html

 
Sétima carta - 13/10/15

Inspirada em um sonho com a Amma, nos ensinamentos de Thalita Lago e no meu infinito e eterno amor pela minha sufi Laíz Latenek.


Amor,

Essa manhã despertei me sentindo como melodia de uma flauta Ney, então, me lembrei que sonhei com a Amma, ela me sorriu e disse: Está tudo bem! Me senti abraçada. 

Quando saí de casa minha primeira visão foi uma foto da Amma sorrindo, me lembrando que foi real... está tudo bem... Deus fala através da sincronicidade.
Ainda assim, seguia sendo melodia de lamento, então resolvi me dançar, e dancei a tristeza em mim, dancei, dancei, dancei até ela se transformar em gratidão. Dançando ouvi a voz de Rumi sussurrando em meus ouvidos a melodia da flauta Ney que dizia: Segue!

Para que falar, amor? Que Rumi fale por mim, que a música fale por mim. 
Te dou como oferenda ao Ganges, vai, sê feliz.
Amor, está tudo bem!

Sempre sua,

Eu



 RUMI

A brisa ao entardecer tem segredos para ti.
Não adormeças!
Pergunta o que realmente desejas.
Não adormeças!
As pessoas andam para a frente e para trás,
através da porta aberta.
Não adormeças!

Adorava beijar-te,
o preço do beijo é a tua vida.
Agora o meu amor corre,
ao ouvir gritar:
-Que negócio, vamos comprar!
Temos de procurar,
mas antes de procurar,
temos de amar.
Mas não podemos amar
se estamos presos à vida.
 
O mundo está aqui,
para nos dar experiências e compreensão,
mas isso é transitório, mutável.
Amar, cantar, dançar,
ter filhos,ter casas,
dinheiro, poder...
e num momento a morte tudo leva.

Ficas a tremer, com medo,
dormente e inconsciente.
Não é possível provar
o divino vinho do amor,
só o místico pode,
é o interior da flauta (Ney)
vazia, oca.
 
E então toda a poesia, toda a música,
tocará em ti.
Ocupará todo o teu coração e tua mente,
Deus falará contigo,
por detrás do sol e das estrelas,
flores e árvores,
homens, crianças, novos e velhos também.
 
Quando esse vinho divino
atinge o coração,
nessa bela experiência,
vai para a sala do silêncio
e todo o universo exibe a divina dança do Amor.
  
          













Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser