Quinta carta - Amor em 20 atos


Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link: 
http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html

Quinta carta - 11/10/15

Inspirada no que mais amo na vida, meu grupo Flor de Maria, onde encontro as mulheres que me impulsionam a Ser. Hoje escrevemos essa carta juntas, com 20 corações, frases soltas que se juntaram como imãs, ou melhor, irmãs.


Amor,

Eu que sempre achei que havia amado de todas as formas, nunca tinha escrito uma carta de amor até então. Mas hoje me torno palavra e linha para contar sobre toda a emoção e felicidade que eu sinto quando penso em você, quando estou com você e quando olho para você. Adoro os pontinhos amarelos que parecem milhares de estrelinhas dentro de seus olhos azuis, esse olhar é um grande abraço. Na sua quietude eu descanso.
Meu amor! Olha para mim como eu olho para você! Quando te olho, me vejo do avesso e me traduzo.
Quando te encontrei nasci para o presente, mas não joguei fora o baú com tesouros do passado, nele guardo as flechas que atirei em peitos abertos e fechados, nele guardo as casquinhas de feridas que nasceram quando caí de fraqueza. Cada amor foi espelho, onde me reconheci miragem e hoje sei o que não é e o que haverá de ser.
Por muito tempo eu achava que você precisava ficar enrolado dentro de mim e preso de alguma forma, as vezes tão preso que não conseguia sair. Acho que eu queria te guardar, te proteger e achava que era assim que o amor floresceria, e quando eu achei que o meu amor te sufocava, falei que te odiava só para te deixar livre, mas um dia percebi que eu podia puxar esse fio e te ver com mais clareza, porque de dentro só conseguia te ver nos dias de silêncio. Então, te convidei para passear lá fora comigo e pude te ver nas pessoas, nos animais, nas árvores. Escolho continuar te puxando, mas agora te dou asas e quero voar junto contigo, porque através de você reconheço formas de amar que me fazem ser voo. E sou tão grata por me fazer livre! Porque sou livre quando sinto, quando sirvo e quando não, quando me encaixo e quando não me acho. E essa simplicidade de amar é o que nos torna felizes. Você me faz brilhar e seu sorriso faz meu coração aquarela onde pinto um quadro onde nos libertamos mutuamente, porque em você sou encontro e podemos ser o que somos.
Sei que estar longe também alimenta esse amor, porque a cada reencontro eu posso te mostrar quanto eu cresci e você também pode fazer as tuas descobertas. Só que hoje estou cansada de ser forte, as vezes eu quero colo, toque, sopro. Preciso de nossas almas misturadas!
Mas a vida é como é ... Segue o seu caminho que eu sigo o meu, oxalá eles continuem a se encontrar.

Sempre sua,

Eu

P. S: Amor! Adoro como o enlace das nossas mãos não se encaixam, mas como a dança dos nossos corpos flui. Só pra constar!

Comentários

  1. Fe vc é simplesmente divina com as palavras! Adoro poder ler seus textos fã número um!
    Saudade amiga!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Fernanda palavras vindo de muita inspiração. Inspiração vindo de grande amor. Sou muito grata ao criador por ter te conhecido. Pois com você aprendi a verdadeira entrega. E depois disso a minha ViDA mudou muito :)

    ResponderExcluir
  3. Sabe aquele sentimento único que te faz rir quando acaba de ler um texto o qual falta palavras para descrevê-lo? Então, estou assim agora...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser

45º Carta - Os ciclos do Amor