20º Carta - Um passeio no Tempo

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:  


http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html

20º Carta – 28/10/15



Inspirada em trabalhos de faculdade sobre pré-história, Egito antigo e cultura greco-romana.







Amor,

O Tempo hoje me convidou para conhecer sua infância, eu aceitei o convite e com ele passeei por eras de gelo, galopei na garupa de faraós e ajudei a esculpir bustos romanos. A cada lugar que passava sentia uma familiaridade tão grande, que conseguia fazer parte do que eram aquelas pessoas, mas isso é meio óbvio, não? Elas criaram o mundo em vivemos hoje, fazem parte do que somos.
Enquanto percorria o rio Nilo me lembrei de nós. Será que nos encontramos ali na infância do tempo? Como aparentaríamos? Será que você me amou quando eu reverenciava a Ísis? Será que o amor era como o sentimos agora?  Adorei nos imaginar ali, e depois em vários outros encontros dentro uma espiral onde rapidamente nossos olhos se cruzavam e criavam novas realidades, e nos colocavam em idades diferentes, onde tínhamos faces novas a cada ciclo, e trocávamos de sexo, assim como, de papéis inúmeras vezes, mas éramos sempre nós em essência, eu e você. Sabe de uma coisa, acho que antes de tudo isso fomos estrelas gêmeas, como é Sirius e sua irmã que não é vista, e um belo dia resolvemos explodir de tanto amor e nos espalhamos por essa Terra mágica para brincar de teatro, enquanto, vamos juntando nossas partes que estão espalhadas por aí. As vezes cansa, né? Mas é tão divertido, porque nessa busca vamos nos misturando com outras estrelas que também explodiram de amor e nos tornamos outros “nós” e podemos assim colecionar novas formas de amar. Me excita tanto pensar no que nos tornaremos quando a velhice do tempo chegar, talvez sejamos peixes beijoqueiros, ou melhor ainda, talvez possamos ser peixes beijoqueiros que voam, tomara! Mas o que importa é que ainda seremos eu e você.

Amor, eu sei que a carta de hoje está meio maluquinha, mas o Tempo me ensinou que um pouco de loucura é necessária para entendermos sua forma de ser. Tic-tac...


Sempre sua,



Eu
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser