14º Carta - Minha bússola

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:  

http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html


14º Carta – 21/10/15

Inspirada em uma série de atendimentos onde a “dor da separação” foi o personagem principal.

Meu Amor,

Resolvi parar de sonhar com você enquanto acordada, isso abriu espaço para te encontrar em meus sonhos enquanto dormida. Você veio até mim, mas depois fugiu, em silêncio, sem me contar o que estava sentindo. Sua partida me deixou flutuando num espaço sem chão, não consigo pousar, meus pés formigam pedindo terra, mas só encontram saudade.
Será que você reconhece esse sentimento que te chama? Ou é mais hábil que eu em deixar ir?
Sinto falta de que? De quem?
Ter me entregado a você me deixou com saudades de mim, sou suspiro!
Vou usar minha lupa e sair seguindo pistas que me levem de volta ao meu coração, e provavelmente, o encontrarei em suas mãos. Você me devolve?
Não precisa ser para sempre, podemos trocar, de vez em quando você coloca o seu no meu peito e eu cuido dele, assim como você pode acolher o meu no seu peito e senti-lo bater. Só não me deixe esquecer qual me pertence para que eu não seja bússola sem ponteiro e me norteie por você.
Sabendo quem sou posso colocar meu norte no leste quando quero nascer e transferi-lo para oeste quando quero morrer, e posso te convidar para ser parido de mim enquanto morro e ser matado por mim enquanto nasço. Vamos nos misturando e separando, buscando o equilíbrio entre eu e tu através do “nós”, ou melhor, do “nous”.
Mas sabe amor, queria tanto que você sentisse saudades! Assim sou, humana!

Sempre sua,

Eu



*Nous - a parte imortal da alma.
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser