40º Carta - O Sagrado e o Profano

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:   

http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html



40º Carta – 24/11/15


Inspirada na volta à rotina e na vontade de vivê-la intensamente, com o melhor de mim.

Amor,

Nossa! Quarenta cartas feitas de nós!!

Saio do meu silêncio derretida, pronta para me tornar uma novidade. Em alguns momentos consegui convencer meu coração de que ele é o próprio Amor, como te prometi em nosso último contato. Encontrei um ninho nesse estado de inteireza, mas ele é passagem, ainda sou terra demais, e ainda amo sê-la. Mesmo no centro do silêncio conseguia te sentir e quando ia me esquecer de mim mesma você me chamava de volta e eu escolhia voltar, eu escolho voltar. Quero experimentar a vida em você, fazendo amor até conhecer cada poro de sua pele, cada contração de seu corpo, os vários ritmos de sua respiração, todas as formas de ser de seu êxtase.
Nos embriagaremos de vinho e giraremos numa tontura gostosa que faz com que criemos intimidade. Brigarei com você muitas vezes quando quiser defender as minhas verdades só para depois fazermos as pazes enquanto me ensina as suas verdades. 
Quero conhecer seus amigos da rua e ouvir chorinho com vocês, e depois te deixar ali com sua confraria enquanto saio livre pelo mundo levando a música comigo.
Nosso encontro é minha oração, seu beijo é meu chamado para o Mistério, confiar em sua pele é minha devoção. Em “nós” eu sou permissão, isso independe dos nossos quereres, do tempo ou espaço. Não há separação entre sagrado e profano, somente há a vida e o vivê-la. Não há como desistir...

Sua,

Eu
 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser