34º Carta - Meu livro em sua pele

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:   

http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html



34º Carta – 13/11/15

Inspirada na preparação da aula que darei amanhã sobre o Gênesis - a criação do mundo.


Amor,

Olho a folha em branco e espero para ver o que dela brotará, geralmente as palavras vão surgindo sem que eu possa controlar, eu só faço distribui-las de maneira que fiquem esteticamente adequadas. Mas não sei o que está acontecendo hoje, a folha está imóvel, nada acontece, ou será que acontece tanta coisa que ela não consegue falar?
Vejo diante de mim três opções, a primeira é me construir um casulo e nele entrar com meu caderno, e ficar ali, confortável e imóvel, observando o branco da folha até que novamente ela decida falar.
A segunda opção é você me deixar escrever em sua pele, dela seguramente muitos signos nascerão, porque quando me perco em meu nada é você que me resgata e me torna palavra com sentido. Poderia me transformar em tinta de caneta e entrar lentamente em você enquanto escrevo, e me misturando com o sangue que conta a história de toda sua existência te conheceria desde aquele tempo que você ainda não era esse você. E quando voltasse a mim teria testemunhado o nascimento do verbo e a criação do sexo, e faria de você um livro. Meu livro guia! Seus ensinamentos vivos me ajudariam atravessar o inferno sem me perder e me revelariam as fórmulas mágicas para que eu pudesse experimentar o céu sem me afogar em nuvens. Nada teria a negar, tudo a experimentar sem medo, pois sua paciência me protege da insanidade e sua doçura me liberta do esquecimento frio da autoproteção.
A terceira opção seria eu fechar o caderno e cobrir tua pele, deixando em paz a você e ao branco da folha, assim simplificaria a carta de hoje te mandando um telegrama-pensamento que conteria a seguinte mensagem: Eu te amo (ponto)

Acho que vou ficar com terceira opção...

Sempre sua,

Eu
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser