31º Carta - A... Deus

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:   

http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html


31ª Carta – 09/11/15



Inspirada nas histórias de adeus.


Amor,

Quando conjugo teu nome, só consigo fazê-lo no pretérito perfeito, algo realmente foi perfeito, todo encontro de amor é perfeito, mas quando ignorado é pretérito.
Caminho entre brumas, sem saber direito onde vou parar, me despindo de toda esperança, para chegar ao fim do caminho sem nada que me faça querer voltar. Em alguns momentos parece que escuto a sua voz, paro para tentar reconhecê-la e percebo que ela chama outros nomes, não mais o meu, acho que o passado o aprisionou também. Você já não pode se lembrar de mim.
Sem sua voz como guia busco sons que me deem pistas de por onde ir, mas o desamor é mudo, tenho que seguir por mim mesma, tateando o chão com os pés e respirando as brumas. Quando respiro consigo ouvir um som familiar, tum-tum tum-tum, meu coração que lembra que eu te disse na primeira carta que o desamor é só o amor ao avesso. Começo a enxergar uma pequena luz entre as brumas, há um novo porto onde chegar. Te deixo no ontem, e vou em direção à luz, dali vem uma voz que chama o meu nome. Não é a tua. Quem será? O Amor... sempre...

A... Deus,
  
Eu
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser