26ª Carta - Vulcões em criação

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:    
http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html

26ª Carta – 03/11/15

Inspirada em uma série de atendimentos que me apresentam pessoas que não se sabem vulcão.



Amor,

Porque será que olhamos no espelho e não vemos o que outros nos dizem ver? Parece que a imagem está sempre embaçada pelo chuveiro quente demais, como se a água que escorre devesse nos purificar de um não merecimento herdado por gerações de santos pagãos.
Tem almas que brilham e penetram tudo o que tocam, mas quando olham para as próprias mãos as veem opacas, as vezes em preto e branco. Quando me encontro com tais almas tenho como missão receitar novas lentes, aquelas que são usadas do lado de dentro, de olhos fechados, e que fazem enxergar o brilho que começa no avesso.
No começo os olhos ardem, coçam, e parece que estão cegos, mas então, um pontinho de luz começa a aparecer e vai guiando à descoberta de algo que pulsa e quer sair.
São vulcões adormecidos, que se pensam lagos mansos, mas quando a lava começa a remexer não dá para fugir, é preciso deixar explodir e já não se pode conter a criação, e assim a beleza se faz, porque é original, porque é transgressora, porque vem do centro do ventre, e então o espelho desembaça! A imagem nítida aparece, e enfim, se pode ser livre da perfeição, se pode errar a vontade e possibilidades antes desconhecidas são paridas.
Toda alma é bela, todas as distorções são tentativas de encontrar essa beleza, toda negação é necessidade de amor, e toda busca pelo grande amor é a busca por Deus.
Lindo, quando te procuro é a mim mesma que quero encontrar, tentando tocar, assim, Deus em mim. Obrigada, por ser caminho para eu trilhar, e doador de lentes para eu enxergar o ponto de luz que me guia até o centro de meu vulcão. Vou explodir a cada dia em criação! Vou explodir a cada dia em novas possibilidades de nos fazer livres da perfeição que escraviza! Vou explodir todos os dias de tanto amar o Amor!

Sempre sua,

Eu
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser