44º Carta - A mais louca das cartas

Bem-vindos ao blog e ao convite para ler as cartas de amor inspiradas nas histórias que ouço todos os dias em meus atendimentos astrológicos, nos encontros da vida, e em minhas próprias experiências. Para quem quer saber mais sobre elas, veja o post da primeira carta no link:   
http://ferzanini.blogspot.com.br/2015/10/as-cartas-de-amor.html

44º Carta – 01/12/15


Inspirada em minha própria loucura.




Amor,

Hoje o sol nasceu com meu sorriso, despertei com sua voz dizendo que me ama, fauna e flora foram fecundadas.
Passei o dia divagando em redemoinhos de ideias sobre como ser tão minha quanto sou sua. Já não estou dominada pelo desejo de sua presença, e esse talvez me leva a percorrer, com coragem, o labirinto de meu ser.
Hoje quero tanto ser verdade que aprendi a mentir sobre existir como personagem ou criadora. Preciso te escrever a mais louca das cartas, porque desejo explodir de mim mesma. Enquanto escrevo chovo em choro a frustração de tudo que não consigo saber, canto bem alto a saudade de todos os lugares aos quais não fui com você, e agradeço por todas as vezes em que me perdi sozinha pelas ruelas do mundo e pude descobri novas metáforas para viver.
Enquanto te escrevo vejo com uma ternura, que parece eterna, minha flor de prazer desabrochando, prazer que é como fio de novelo que sai de um cesto em forma de serpente encantada a construir telas bordadas de nós dois por todo meu corpo. É tudo tão intenso, tão real, tão sensorial, e tão essencial! É tudo tão nosso encontro no aqui! Um grito de vida!
Reconheço, meu querido, o quão piegas é minha escrita, e ainda assim sou impelida por um sentimento profeta que me destina a mostrar-me tão intensa quanto frágil, que me obriga a escrever a mim mesma por amor a você.
O que é a realidade para uma alma que tem por lei a necessidade de amar? Essa realidade é o objetivo final que nos levará ao rasgar do véu da ilusão que nos faz esquecer que somos apenas o sonho um do outro.

Me deleito pensando em como se move seu rosto enquanto me lê, e fico aqui desejando que seu coração sorria sem ninguém perceber, ninguém além de mim. Quem mais te escreveria assim, amor meu?

Loucamente sua porque perdidamente minha,

Eu
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

49º e Última Carta - Ser e deixar Ser